Alinhadores ou cirurgia ortognática no tratamento de deformidades dentofaciais?

por jul 30, 2020Uncategorized4 Comentários

O tratamento de deformidades dentofaciais visa corrigir a proporção entre os ossos da face, mais especificamente entre a maxila e a mandíbula. Tais alterações estruturais levam à desoclusão, ou seja, impedem que os dentes superiores encaixem adequadamente nos inferiores. 

Como consequência dessas anormalidades ósseas, que podem ocorrer por questões genéticas ou mesmo por maus hábitos durante a infância, surgem também deformidades dentárias.

Os alinhadores e a cirurgia ortognática são os principais tratamentos indicados, e é sobre eles que falaremos ao longo deste artigo. Entenda como se dá cada tratamento e quando cada um deles é indicado.

Como funcionam os alinhadores?

Os alinhadores são geralmente a primeira opção de pacientes que sofrem com deformidades dentofaciais. O tratamento consiste no uso de aparelhos removíveis para fazer correções dentárias. Essa é uma ótima opção para pessoas que possuem dentição mista, ou seja, dentes permanentes e dentes de leite. 

Antigamente, o prejuízo estético era a principal desvantagem dos alinhadores, problema já superado, agora que eles podem ser completamente transparentes.

Por não possuir fios ou metais, esses aparelhos também não machucam a boca e nem interferem na fala, uma evolução significativa se comparada aos aparelhos fixos mais convencionais.  

Embora seja sim efetivo, estamos falando aqui em resultados a longo prazo. Seus efeitos começam a se tornar mais notórios após seis meses a um ano de uso, isso quando o alinhador é utilizado durante pelo menos 20 horas por dia. 

Para que serve a cirurgia ortognática?

cirurgia ortognática é um procedimento cirúrgico que tem como finalidade restabelecer o padrão facial normal em pacientes com problemas no desenvolvimento ósseo da face. O procedimento engloba não apenas a cirurgia, mas também um tratamento ortodôntico, que propicia melhorias estéticas e funcionais. 

A correção deve ser realizada após o término do crescimento ósseo, que acontece por volta dos 17 anos de idade. 

A cirurgia é considerada uma solução definitiva no tratamento de deformidades dentofaciais, por isso, requer um planejamento prévio cuidadoso e um acompanhamento com profissional bucomaxilofacial capacitado e experiente. 

Depois do procedimento também são necessários cuidados especiais. Geralmente, é indicada medicação específica, repouso, cuidados com a alimentação e, em casos mais avançados, fisioterapia. 

Embora seja uma opção mais invasiva, a cirurgia ortognática é considerada uma técnica segura e com complicações raras. 

Qual o melhor tratamento de deformidades dentofaciais? 

Enfim, alinhadores ou cirurgia ortognática? Um tratamento não é superior ao outro, mas complementar. 

Casos mais simples podem ser resolvidos simplesmente com o uso de alinhadores. Mesmo sendo um tratamento de longo prazo, por ser menos invasivo e gerar excelentes resultados, é comumente indicado. 

A cirurgia ortognática, embora seja uma solução definitiva, exige na maioria dos casos um tratamento ortodôntico prévio, e é indicada para pacientes com anormalidades ósseas significativas, em que apenas os alinhadores não seriam capazes de gerar o resultado desejado. 

De qualquer forma, apenas o cirurgião bucomaxilofacial, após analisar com cautela individualmente cada caso, pode dizer qual o tratamento ideal. Entre em contato e agende a sua consulta agora mesmo. 

cirurgia ortognática

4 Comentários

  1. ADELSON LUIS BARRETO

    Olá. Os alinhadores são considerados próteses?

    Responder
    • rodney capp
  2. Marinês

    A cirurgia e segura não corre risco do rosto ficar paralisado ou dormente?

    Responder
    • rodney capp

      Pode acontecer de ficar com o rosto dormente sim, independente da forma de alinhamento dos dentes, seja aparelho ou alinhador

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais posts

Parestesia tem Cura?

Parestesia tem Cura?

Você já se perguntou se a parestesia, aquela sensação de formigamento, dormência ou queimação em partes do corpo, tem cura? A boa notícia é que, na maioria dos casos, a parestesia é temporária e pode ser tratada com sucesso.