Traumatismos dentários: Quais são os tipos e o que fazer?

por jul 30, 2020Uncategorized0 Comentários

Conheça os tipos de traumatismos dentários mais comuns e saiba exatamente o que fazer diante de cada um deles.

Os traumatismos dentários são problemas frequentes em crianças e adolescentes. As lesões vão desde pequenas alterações no esmalte do dente a perda definitiva do elemento.

De maneira geral, o exame imediato é indispensável, pois a demora no atendimento aumenta o risco de sequelas e dificulta o prognóstico.

O risco é maior entre os 18 e 30 meses de vida, já que nessa fase as crianças estão começando a se tornar independentes e a desenvolver a coordenação motora. Dentre as causas mais comuns merece destaque as quedas e os acidentes, comuns a faixa etária.

Existem diversos tipos de traumatismos dentários, que tal falarmos um pouco mais sobre cada um deles?

Concussão dentária

A concussão não leva a nenhum tipo de alteração anatômica imediata, porém produz
sensibilidade dolorosa, que geralmente, desaparece após algumas horas.

O problema é causado por uma força intensa e súbita que age sobre o dente, e mesmo não
sendo capaz de danificá-lo, acaba deixando a região dolorida.

O que fazer

Não há muito o que fazer. É recomendado ao paciente optar por alimentos mais macios, e ouso de analgésicos para controle da dor.

Subluxação dentária

A subluxação é considerada um dos traumatismos dentários de intensidade moderada. A lesão acomete os tecidos de sustentação.

O dente passa a apresentar mobilidade, podendo haver sangramento do sulco gengival, além de alterações na sensibilidade ao toque.

O que fazer

Mais uma vez não há motivos para desespero. Em casos mais graves, pode ser necessária a contenção.

De maneira geral, é indicada a manutenção de uma dieta majoritariamente líquida para evitar complicações.

Luxações

Existem 3 tipos principais de luxações.

Fala-se em luxação extrusiva quando o dente se desloca em sentido axial ao alvéolo dental.
Lateral, quando o deslocamento é de lateralização. E em luxação intrusiva quando o dente
aparece irregular em relação ao osso do processo alveolar.

O que fazer

Nesses tipos de traumatismos dentários é necessário o reposicionamento do elemento em questão. Muitas vezes o problema é resolvido por meio de contenção semirrígida, porém, há casos onde é necessária a realização de um tratamento endodôntico.

Avulsão

A lesão é considerada avulsão quando ocorre perda total do dente fraturado. A região alveolar fica vazia, preenchida apenas por coágulos sanguíneos.

O que fazer

Em caso de perda total do dente, o atendimento deve ser realizado de forma imediata.Recomenda-se guardar o elemento em leite gelado ou soro fisiológico para melhor conservação.

A não conservação do dente ou a demora na reimplantação podem levar à perda permanente.

Fratura radicular

A lesão radicular afeta a dentina, o cemento e a polpa do dente, levando a mobilidade.

O que fazer

Na grande maioria dos casos o reposicionamento do dente e o uso de contenção suficientes.

Fratura alveolar

Os traumatismos dentários que danificam o alvéolo podem ou não impactar os dentes, e geralmente envolvem a parede óssea do alvéolo.

O que fazer

O tratamento é muito importante e vai desde o reposicionamento do fragmentando alterado ao uso de contenção rígida ou semirrígida. O acompanhamento especializado é indispensável.

Fratura em esmalte

A fratura em esmalte também é muito comum e se caracteriza pela perda total ou parcial do esmalte do dente. Em alguns casos, a dentina também aparece danificada.

O que fazer

Assim como na avulsão, recomenda-se o armazenamento do elemento fraturado em soro
fisiológico até que seja feita a restauração, a qual deve ser realizada o mais precocemente
possível.

A RR Medicina e Odontologia é referência em tratamentos odontológicos. Para agendar uma consulta, basta entrar em contato. Estamos a disposição!

Traumatismos dentários-min

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais posts

Parestesia tem Cura?

Parestesia tem Cura?

Você já se perguntou se a parestesia, aquela sensação de formigamento, dormência ou queimação em partes do corpo, tem cura? A boa notícia é que, na maioria dos casos, a parestesia é temporária e pode ser tratada com sucesso.